quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Crivella coloca Igreja Universal à disposição para Bolsonaro coletar assinaturas para novo partido

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) denunciou pelas redes sociais que o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), se reuniu com Jair Bolsonaro (PSL) e colocou a Igreja Universal à disposição para que o chefe do Planalto colete assinaturas para a criação de seu novo partido.
"Mais uma vez Crivella está usando a fé das pessoas como moeda de troca para as suas ambições políticas", postou Freixo no Twitter. "Lamentável", comentou.
A estratégia de Crivella é ter os Bolsonaro em seu palanque para ir ao segundo turno provavelmente com um candidato de esquerda apoiado por Lula, seu então aliado em eleições passadas.
Bolsonaro anunciou nesta terça-feira 12 sua saída oficial do PSL e a criação de um novo partido, que se chamará Aliança pelo Brasil.
Para que ele seja criado a tempo de lançar candidatos nas eleições de 2020, Bolsonaro precisa coletar ao menos 490 mil assinaturas, distribuídas em 9 Estados, até seis meses antes do pleito, e ter o processo de criação aprovado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Mais uma vez @Crivella está usando a fé das pessoas como moeda de troca para as suas ambições políticas. Ele se reuniu com Bolsonaro e colocou a Igreja Universal à disposição do presidente para conseguir as assinaturas necessárias para criar seu novo partido. Lamentável.
552 pessoas estão falando sobre isso

Fonte: Brasil 247 e Jornal O Dia via Folha Gospel

Menos americanos estão “convencidos” de que Deus existe, revela pesquisa


Enquanto quase 80% dos americanos estavam "convencidos" há mais de uma década que Deus existe, apenas 64% dos americanos hoje estão tão fortemente convencidos de sua crença em Deus, diz uma nova pesquisa da Gallup.
Citando as respostas à pergunta da crença em Deus, formulada de três maneiras diferentes  nos últimos anos, a Gallup descobriu que quando os entrevistados eram simplesmente perguntados "Você acredita em Deus?", Cerca de 87% dos entrevistados dizem "sim". Quando perguntados se eram "convencidos" de que Deus existe, esse número caiu para 64%.
"A variedade de resultados da Gallup leva à conclusão de que colocar uma porcentagem na crença dos americanos em Deus depende de como você define 'crença'. Se o padrão é certeza absoluta – sem cobertura e sem dúvida – é algo em torno de dois terços. Se o padrão é uma propensão a acreditar em vez de não acreditar, então esse número está em algum lugar ao norte de três quartos", disse Zach Hrynowski, da Gallup.
A análise da Gallup vem logo após um novo estudo do Pew Research Center,  em outubro, que diz que apenas 65% dos americanos agora se identificam como cristãos.
O estudo mostrou um crescimento significativo entre os americanos que se identificam como não religiosos – um grupo que inclui  ateus, agnósticos e pessoas que não se identificam com nenhuma religião .
Este grupo agora representa 26% da população. A queda no número de americanos que se identificaram como cristãos refletiu um declínio de 12% em comparação à população em geral há 10 anos. O declínio foi visível em várias informações demográficas, mas principalmente entre jovens adultos.
As pesquisas mais recentes da Pesquisa Social Geral mostram um estado ainda mais terrível no número de americanos que estão convencidos de que Deus existe sem dúvida.
Números dessa pesquisa mostraram que 65% dos americanos disseram estar convencidos da existência de Deus em 1993, enquanto apenas 53% disseram que sabem que Deus existe e não tiveram dúvidas em 2018.
Em um relatório recente da série "Deixando o cristianismo", do The Christian Post, foi apontado que milhões de americanos que já foram cristãos comprometidos continuaram a se desapegar cada vez mais de sua religião nas últimas décadas, e as igrejas têm lutado com a mudança de cultura em que não há respostas absolutas.
Ryan Burge, professor assistente de ciência política na Eastern Illinois University e pastor da Primeira Igreja Batista do Monte, em Illinois, também observou em outro relatório recente publicado pelo Barna Group , que as gerações mais jovens criadas na igreja também não estão mais voltando para a igreja quando comparadas aos membros da geração "Baby boomer" nascida entre 1945 e 1964.
"Os dados estão falando uma mensagem clara: as suposições que sustentaram o crescimento da igreja de duas décadas atrás não se aplicam mais. Se as igrejas estão sentadas e apenas aguardando a chegada de todos os seus jovens quando chegam aos 30 anos, é provável que tenham um rude despertar. A inação agora pode estar criando uma igreja que não tem um futuro forte", disse ele.
Folha Gospel com informações de The Christian Post

Após 14 anos, ex-morador de rua encontra cristã que ajudou a mudar sua história

Jeanah Nomelli foi o instrumento de Deus na vida de Will Levens quando ele morava nas ruas e estava viciado em heroína

Quando Jeanah Nomelli conheceu Will Levens, quando ele estava revirando lixeiras na rua e vivendo com um mendigo. A paramédica perguntou a ele por que estava naquela condição, e Will compartilhou sua história cheia de tragédias pessoais.
Ele contou a Jeanah que sua esposa havia morrido inesperadamente e, após a morte dela, ele entrou na heroína, perdeu sua casa e o emprego. Depois de ouvir sua história, Jeanah o ajudou.
Jeanah deu a ele um par de botas, uma jaqueta, "para que ele não congelasse de frio", conta ela, além de dinheiro para que Will tirasse novos documentos e recomeçasse sua vida.
Eles começaram uma amizade e se falavam frequentemente, compartilhando histórias e conselhos, porque Jeanah disse que realmente queria ver Will melhorar sua situação. Essa amizade e apoio acabaram mudando tudo para aquele homem.
Jeanah conta que quando deu a Will US$ 7 para obter sua identidade, ela o fez prometer que não gastaria o dinheiro em drogas.
Depois de um tempo Will desapareceu, preocupando Jeanah.
"Ao longo dos anos, me perguntei o que aconteceu com ele", disse Jeanah. "E se ele estava vivo."
Finalmente, Deus respondeu a essa pergunta por Jeanah, permitindo que seus caminhos se cruzassem novamente em um posto de gasolina, 14 anos depois.
Jeanah estava em um posto de gasolina e quando ela saiu do banheiro, Will Levens estava lá.
"Ele ficou lá com lágrimas nos olhos e perguntou se eu me lembrava dele", conta Jeanah, que disse ter ficado surpresa ao ver a transformação ocorrida desde a última vez que vira Will.
"Will manteve sua promessa", disse ela. "Ele conseguiu sua identidade, um emprego e depois uma esposa. Também encontrará graça nos braços de nosso Criador celestial. Nós choramos muito no meio da loja antes de pedir ao balconista para tirar uma foto".
Jeanah Nomelli compartilhou a história em sua mídia social, "porque queria lembrar a todos o poder da bondade".
Fonte: CPAD News

“A Bíblia volta ao Palácio”, diz presidente interina em posse na Bolívia


A senadora de oposição, Jeanine Áñez, se declarou presidente interina da Bolívia em sessão extraordinária nesta terça-feira (12). Ela entrou na sede do governo boliviano carregando uma Bíblia e declarou a jornalistas: "A Bíblia volta ao Palácio".

Desde a renúncia de Evo Morales até a proclamação da senadora, a Bolívia passou mais de 48h sem presidente. Áñez terá a tarefa de convocar novas eleições em um prazo de 90 dias.
Áñez, segunda vice-presidente do Senado, se declarou presidente depois que os próximos na linha de sucessão de Morales também renunciaram. A Constituição estabelece que, após a renúncia do presidente, o vice-presidente, o presidente do Senado ou o presidente da Câmara dos Deputados deve assumir a sucessão.

A proclamação de Áñez aconteceu em uma sessão legislativa no Parlamento sem a presença de representantes do Movimento Ao Socialismo (MAS), e sem quórum — número mínimo de pessoas necessárias para que uma deliberação. Representantes do MAS, partido de Morales, disseram que não compareceram por questões de segurança.

Protestos eclodiram na Bolívia após as eleições do mês passado, depois de uma parada inexplicável de 24 horas nas votações, resultando em denúncias de fraude eleitoral.

Áñez negou que Morales tenha sido vítima de um golpe, dizendo: "O que aconteceu na Bolívia foi a verificação de fraudes monumentais. Um golpe de estado é quando há soldados nas ruas".

Nesta quarta (13), o Brasil reconheceu Añez como presidente interina da Bolívia. "O Governo brasileiro congratula a senadora Jeanine Añez por assumir constitucionalmente a Presidência da Bolívia e saúda sua determinação de trabalhar pela pacificação do país e pela pronta realização de eleições gerais. O Brasil deseja aprofundar a fraterna amizade com a Bolívia", disse o Ministério das Relações Exteriores no Twitter.

Entre os que apoiam Morales está o líder da Venezuela, Nicolás Maduro, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, o presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández e também o ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

Fonte: Guiame
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...