segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Danceteria da chacina em Fortaleza será transformado em igreja evangélica


A danceteria onde aconteceu a maior chacina da história do Ceará vai virar uma igreja evangélica, após decisão do proprietário.

A danceteria onde aconteceu a maior chacina da história do Ceará vai virar uma igreja evangélica, após decisão do proprietário anunciada à polícia na última quinta-feira (1º).

Em 27 de janeiro, 14 pessoas foram mortas e outras 18 ficaram feridas no Forró do Gago, no município de Cajazeiras, em Fortaleza. A ação teria sido provocada por facções criminosas que disputam pelo local, segundo relato de moradores.

No entanto, após a matança, a danceteria deixará de dar lugar às festas para se tornar palco de cultos religiosos. O proprietário da casa, José Clediano Girão Nobre, informou a mudança ao delegado do 13º Distrito Policial, Hélio Marques.

"Ele nos disse que pretende alugar o espaço na Rua Madre Tereza de Calcutá para uma igreja evangélica, pois não quer mais realizar festas lá, depois da chacina", informou o delegado. O culto de inauguração aconteceu neste fim de semana.

Em depoimento na delegacia, Nobre informou que as festas no Forró do Gago eram promovidas todas as sextas-feiras a um público variado, mas não sabia da presença de integrantes de facções nem de comemorações que faziam apologia ao crime.

Durante a apreensão dos equipamentos de som do Forró do Gago, a polícia constatou irregularidades. O som da casa atingia 150 decibéis durante as festas, sendo que o máximo permitido em áreas residenciais é de 75 decibéis.

A perícia ainda observou que o local não tinha saída de emergência ampliada de conformidade com as determinações do Corpo de Bombeiros. "É um espaço muito reduzido. Só tinha uma saída que parece um portão de uma garagem", disse o delegado.

Fonte: Guiame

Pastor evangélico lidera eleição na Costa Rica e vai ao 2º turno

Fabricio Alvarado, do partido conservador Restauração Nacional, tem 24,8% dos votos apurados

O deputado Fabricio Alvarado, um pregador evangélico, foi o mais votado no primeiro turno da eleição presidencial da Costa Rica, mas terá que disputar o segundo turno com o candidato governista Carlos Alvarado, em abril.
Com 80,6% das urnas apuradas, nas eleições deste domingo (4), Fabricio Alvarado, do partido conservador Restauração Nacional, tem 24,8% dos votos e é seguido pelo ex-ministro Carlos Alvarado, do governista Partido Ação Cidadã (PAC), com 21,6%.
Os dois devem disputar o segundo turno no dia 1 de abril.
A taxa de abstenção ficou em 33,88%, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Os dois candidatos celebraram a passagem para o segundo turno.
Hoje os costa-riquenhos saíram para votar e a mensagem é clara: a Costa Rica não quer mais do mesmo, não deseja mais as campanhas políticas de sempre. Por isto me uno ao movimento que foi criado de unidade, valores, de inovação e verdadeiro progresso”, disse Fabricio Alvarado.
O pastor repetiu sua mensagem concentrada em “família, princípios e valores”.
Seu adversário, ex-ministro do trabalho do atual governo, de 38 anos, afirmou que a próxima administração deve ser um “governo de unidade nacional que abra o diálogo, que respeite as diferenças, que saiba transformar este país”.
Carlos Alvarado citou desafios nas áreas de economia, segurança e infraestrutura para o próximo governo, enquanto os simpatizantes gritavam “Carlos presidente”.
O deputado evangélico Fabricio Alvarado, que em dezembro estava com 3% nas pesquisas de intenção de voto, disparou no fim da campanha por sua postura contrária ao casamento gay após uma declaração realizada em 9 de janeiro pela Corte Interamericana de Direitos Humanos (CorteIDH) a favor da união homossexual.
Sem dúvidas, a religião impulsionou Fabricio Alvarado e isto se acentuou com veemência a partir da resolução da corte (interamericana)”, disse à AFP o analista político independente Jorge Vega.
Ele explicou que o deputado conseguiu capitalizar este voto porque “não é um conservador de pose, é um homem da igreja evangélica”.
A insegurança também motiva a intenção de voto dos costa-riquenhos diante de um drástico aumento no número de homicídios, que em 2017 alcançou 12,1 por casa 100.000 habitantes, o mais alto da história do país.
De acordo com a lei eleitoral do país, caso nenhum candidato consiga pelo menos 40% dos votos, o segundo turno é disputado entre os dois que receberam mais votos no primeiro turno.
TSE informou que a votação transcorreu sem incidentes e com uma grande participação.
Fonte: CPAD News

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Nota de Falecimento - irmão Kerginaldo Pinheiro - pai do Pr. Kemuel Sotero



É com pesar que registro a promoção às mansões celestiais, nesta data, do nosso irmão em Cristo, KERGINALDO PINHEIRO, genitor do Pr. Kemuel Sotero Pinheiro, Vice Presidente do Conselho Administrativo da CPAD e Pastor Presidente da Assembleia de Deus em Vila Velha (ES).

Assim se manifestou o filho, Pr. Kemuel Sotero em seu perfil no Facebook:



Que o Espírito Santo console os corações dos familiares, amigos e igreja.

"Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos" - Salmos 116:15

COMADERJ - Convenção do RJ reelege o Pr. Jonas de Paula como Presidente e decide pela saída da CGADB


Agora é oficial, a COMADERJ - Convenção de Ministros das Assembleias de Deus no Estado do Rio de Janeiro e Outros, em Assembleia Geral no dia de ontem, 03.02.2018, reelegeu por unanimidade o Pr. Jonas Francisco de Paula como seu Presidente para mais uma gestão, ao mesmo tempo que decidiu por 85% dos filiados presentes, pelo descredenciamento da CGADB - Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil.


Desde a sua fundação, a COMADERJ teve seus presidentes afinados com a CGADB, a partir do seu fundador, o saudoso Pr. Paulo Alves, dando continuidade com o seu sucessor, Pr. Jonas Francisco de Paula, os quais sempre foram eleitos para cargos importante na instituição maior, tanto na área de Tesouraria, bem como em secretarias. Tanto o Pastor Paulo Alves, como o Pr. Jonas Francisco, atuaram como Primeiro Tesoureiro da CGADB.

Segundo o Secretário Adjunto da COMADERJ, a AGO decidiu pela saída, bem como a migração da sigla para a nova CADB - Convenção das Assembleias de Deus no Brasil, presidida pelo pastor Samuel Câmara, recém fundada e sediada na Assembleia de Deus Igreja Mãe em Belém do Pará. Segundo ele, o tema foi colocado em pauta em prévia aprovação unânime dos Líderes e no dia de ontem aprovado em plenário por maioria absoluta.

Segundo informações fidedignas, sos 15% que não aprovaram a decisão, uns agora procuram migrar para outras convenções regionais que permanecem na CGADB e outros cogitam a criação de uma nova convenção no Estado do Rio de Janeiro.

Oremos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...