domingo, 25 de agosto de 2019

Kleber Lucas critica “ignorância” de evangélicos e diz que está em terapia após 3° divórcio

O cantor e pastor Kleber Lucas falou sobre seu recente divórcio, os planos para seu novo álbum, "M.O.S.A.I.C.O." e se queixou de ignorância no meio evangélico em uma recente entrevista.
Com 30 anos de carreira, sendo seis como pastor da Igreja Batista Soul, Kleber Lucas disse que convive com arrependimentos e que parte disso se reflete em seus casamentos que terminaram em divórcio.
"Eu me arrependo e vivo me arrependendo de coisas. O que está mais evidente e óbvio é que sou uma pessoa que está no terceiro divórcio. Estou procurando ajuda pastoral e de terapeuta para uma releitura da minha própria caminhada. Eu me arrependo, por exemplo, de ter me separado da Mabeni, quando a Michelle e o Raphael eram novinhos e ele pediu pra ir comigo. Eu tive que conviver com isso durante dez anos até o dia em que o Raphael entrou por essas portas daqui de casa com a mala dele", desabafou.
"Também me arrependo de ter viajado enquanto meus filhos estavam nas festinhas de escola e reunião de pais. E me arrependo de não ter procurado ajuda quando vi meu casamento com a Mabeni acabando. Hoje temos um bom relacionamento e, graças a Deus, que a Mabeni teve muita misericórdia de mim e não voltou para Goiás. Eu não suportaria viver longe dos meus filhos e, apesar de ter sido deixada, ela foi muito corajosa de ficar aqui no Rio de Janeiro e estar aqui até hoje. Apesar de estarmos separados, ela sabe que nunca vai ser esquecida por mim", acrescentou Kleber Lucas.
Apesar da ruptura no casamento citada pelo cantor e pastor, seu filho Raphael Lucas colaborou na música No Olho do Furacão, que fará parte do repertório do novo disco de Kleber Lucas. Segundo ele, a relação é estreita:
"Eu me separei da Mabeni, mas nunca me separei do Rapha nem da Michele. A gente sempre foi cúmplice na criação dos filhos. Sempre fui uma voz paterna na vida deles mesmo à distância nas viagens. Eu tenho a alegria de ter os meus dois filhos hoje morando comigo", contou.
"É muito bom perceber uma relação de amizade com os meus filhos, mas eu sou pai, não sou o melhor amigo dos meus filhos. Assim como a Mabeni é a mãe, eu sou um pai que tem uma voz forte na vida deles, mas ao mesmo tempo tem esse lugar do pertencimento e do acolhimento. Tê-los por perto é uma cura para a minha vida. Eu não poderia ser mais grato a Deus por ter os meus dois filhos morando comigo e ver as coisas acontecendo na vida deles. O Raphael está fazendo o maior sucesso compondo para famosos, mas tem amigos milionários e tem amigos que o pai é porteiro de prédio. Eu criei meus filhos para serem humanos e não para serem filhos de cantor famoso. Criei para tratar todo mundo bem", afirmou o pastor.
Sobre o trabalho de aconselhamento com pastores e terapia, Kleber Lucas disse que vem encontrando fraquezas que havia ignorado antes:
"Sou o protagonista da minha própria história, então, não posso transferir a causa da minha fraqueza, dos meus fracassos. Não vou colocar esse débito na conta de ninguém. Então, eu vou descobrindo uma pessoa que não soube lidar bem, por exemplo, com fragmentações de família, com um ambiente social de esquecimento, alguém que sempre fez perguntas para respostas para as quais não teve".
O divórcio mais recente, de Danielle Favatto, é um caso ainda em aberto em termos de sentimento para o pastor:
"Ainda estou no processo de repensar a vida e a trajetória. Desses três casamentos, duas decisões de terminar foram minhas e, por isso, não dói só em quem é deixado, mas também dói em quem deixa e vai embora. Fica uma lacuna na alma, um luto que você tem que conviver, um sentimento de fracasso enorme e você tem que dar conta da vida com essas lacunas".
Kleber Lucas falou ainda sobre sua relação com Deus, enfatizando que tudo se baseia na fé:
"É complexo pensar em Deus porque Ele é Pai, Filho e Espírito Santo e essa experiência com o sagrado tem que ser desenvolvida pela fé. Ao longo desses 33 anos de caminhada cristã, sempre penso que a minha caminhada tem sido de ouvir Deus pela meditação na Palavra, pelas orações, pelo sermão que é pregado, pelas circunstâncias que me ocorrem".
Na entrevista ao portal Pleno News, o pastor comentou sua relação de proximidade com sacerdotes de outras religiões, principalmente de matriz africana:
"Fui criado na favela com uma mãe solteira, criando três filhos, morando de favor. Fui criado sendo despejado de barraco em barraco feito de pau a pique com telhado de zinco. Às vezes, batia a chuva e levava tudo. A gente morou em porões de casas, na cozinha ou no quarto de pessoas e muitas delas eram da Assembleia de Deus, de Igreja Católica, de igreja nenhuma e muitas eram de terreiro de candomblé. As mães de santo se preocupavam em saber se os filhos de Maria tinham comida em casa. Quando você está com fome na favela e a comida chega, você não faz pergunta se ela chegou da igreja evangélica ou do centro de candomblé. Você quer comer e come com alegria. Fui muito abençoado por Deus através de mães e pais de santo, de pastores evangélicos, de ateus, de agnósticos, de bêbados e até de bandidos."
"Eu fui criado nesse ambiente plural e aprendi a respeitar a opinião das pessoas. Conviver pacificamente é um princípio democrático e aprendi isso, não na minha orientação do Mestrado pela UFRJ, mas na favela onde você aprende a compartilhar espaços. Quero conviver pacificamente com essas pessoas, inclusive as que pensam diferente de mim. Esse é o meu lugar respeitoso de convivência pacífica. Não estou falando de Salvação, mas de respeito. Eu quero respeitar o sagrado do irmão porque quero que o meu sagrado seja respeitado", argumentou.
Em outra resposta, o pastor acusou setores da igreja evangélica de conviver confortavelmente com a falta de conhecimento:
"A ignorância é um prato servido, muitas vezes, em escolas e nessa mídia nociva que a gente tem. As informações são tendenciosas com um cunho extremamente ideológico e polarizado pra sustentar um projeto, seja ele religioso ou político. A informação está recheada dessa coisa de sustentar uma ideia, então, a gente vai se alimentando disso. Nós vivemos dias desafiadores porque, ao mesmo tempo em que todo mundo tem esse lugar de fala nas redes sociais, as informações vão circulando da forma mais esdrúxula possível e as pessoas vão engolindo sem fazer perguntas. A gente vê uma nação toda se alimentando de esterco e isso é complicado", opinou.
Fonte: Folha Gospel

ASSISTA AQUI


Homem tem parada cardíaca e volta à vida contando experiência sobrenatural: 'Deus é lindo'


Marcos estava sendo atendimento por enfermeiros quando começou a chorar e a glorificar Jesus pela visão que havia tido


O testemunho de Marcos, registrado enquanto ele recebia atendimento médico nos EUA, onde mora, foi viralizado pelas mídias sociais.

O rapaz e sua família são da Igreja Luz da Vida de Balneário Camboriú, em Santa Catarina, mas há um ano estão morando fora do país.
Marcos teve uma "experiência poderosa", nas palavras do pastor Charles Pereira, uma das pessoas que compartilhou o vídeo feito na ambulância enquanto Marcos era atendido.
Ele chorava e gritava "glória a Deus; Deus é lindo". Uma das enfermeiras concordava com ele: "Sim, Deus é lindo. “Você voltou!"
Chorando muito, enquanto recebia oxigênio, ele dizia "vocês não têm noção". Gritando, ele falou também: "A glória de Deus é linda, gente. Vocês têm que ver. Cristiano, Cristiano, aceita Jesus. É muito maravilhoso!"
Já de alta, Marcos deu um depoimento ao pastor Charles Pereira e contou o que havia acontecido com ele, depois que sofreu um acidente e teve uma parada cardíaca.
Segundo o rapaz, ele teve uma visão do céu, e relatou o cenário que viu. "É um lugar maravilhoso, um lugar tão lindo, uma glória... Deus falou comigo", conta por chamada de vídeo feita pelo celular.
"Eu queria ficar lá, não queria voltar, mas uma voz falou comigo que meu tempo ainda não tinha acabado na Terra", explica.
Marcos disse que Deus mostrou a ele o seu "canto", que ele descreveu como lindo, dizendo que queria entrar lá e ficar. Ele conta que depois uma porta abriu "do nada" e ele viu o seu corpo e voltou.
O homem disse ainda que Deus falou para ele avisar o povo que sua vinda "está mais próxima do eles pensam". "Era um lugar tão maravilhoso, que não tem explicação", repetiu.
"Vamos proclamar o Evangelho de Deus, Ele mandou, vamos fazer isso", finaliza Marcos.
O vídeo também foi divulgado pelo cantor David Quinlan, em seu Instagram, e teve mais de 100 mil visualizações.


sábado, 24 de agosto de 2019

Damares explica a extinção dos Comitês de Gênero e outros


Ministra destacou que as causas pelas quais esses comitês tinham a função de trabalhar, não têm sido negligenciadas


Na última segunda-feira (19), O Diário Oficial confirmou a extinção de seis comitês ligados ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Entre o revogados estavam os comitês de Gênero e de Diversidade e Inclusão.
Colegiado criado em 2018 e nomeado Janaína Romão (funcionária do Ministério dos Direitos Humanos, morta pelo ex-companheiro), o comitê de Gênero tinha como função propor medidas para coibir a violência de gênero contra funcionários do ministério e propor ações para promover igualdade na pasta.
Já o comitê de Diversidade e Inclusão tinha como função "promover a diversidade sexual e proteção a pessoas LGBT dentro do ministério".
Porém, diferente do que muitos jornais têm noticiado, a extinção dos seis comitês se deu não por decisão da ministra Damares Alves, mas sim devido a um decreto do mês de abril do governo Bolsonaro, que visa revogação de colegiados inoperantes.
Segundo a própria Damares explicou em depoimento em sua página oficial do Facebook, esses dois comitês (e os outros quatro que foram extintos) estavam inativos desde 2018.
"Estes comitês foram extintos por Decreto e não por mim. Há alguns meses um Decreto estabeleceu que Comitês e Comissões que não estavam em funcionamento deveriam ser extintos. Os Comitês extintos em nosso ministério estavam parados desde o ano passado", disse ela ao compartilhar o link de uma notícia publicada pela revista Época.
Damares destacou que apesar da extinção dos colegiados, as causas pelas quais esses comitês tinham a função de trabalhar, não têm sido negligenciadas.
"Mas esta matéria [revista Época] não fala que estamos fortalecendo as Diretorias de combate a violência contra mulheres, contra comunidade LGBTI e não fala do nosso trabalho em busca da inclusão em todas as secretarias", destacou.
Fonte: CPAD News

Líder de louvor da Hillsong se despede do cristianismo: “Foi incrível ser um de vocês, mas eu não sou mais”


Após semanas lutando publicamente com sua fé cristã, Marty Sampson parece ter se despedido do cristianismo – ou, no mínimo, da Igreja – de uma vez por todas, em uma atualização emocionada do Instagram publicada nesta sexta-feira.
No post, o líder de adoração da Hillsong de muitos anos expressou seu amor pelos líderes seniores da Igreja, Brian e Bobbie Houston, e pelo líder de louvor Joel Houston, entre outros. 
Ele chamou Hillsong de sua "linda família de almas incríveis" enquanto agradecia pelas memórias e seu amor.
Na atualização altamente carregada, Sampson, que começou na Hillsong nos anos 90, disse que tinha lágrimas escorrendo pelo rosto e que ele já sentia falta de estar perto de sua família Hillsong. 
Ele escreveu: "Eu te amo @brianchouston  Eu te amo @bobbiehouston  Eu te amo @joelhouston  Eu te amo @benjaminhouston  Eu te amo @lauratoggs  – Obrigado por todas as memórias incríveis, pelas noites em sua casa dormindo no chão, pelos momentos surpreendentes quando eu vi o que é uma bela família", disse Sampson.
"Para @hillsong minha linda família de almas incríveis, eu amei estar perto de vocês todos e eu realmente sinto falta de estar perto de vocês todos. Vocês são algumas das pessoas mais maravilhosas que eu conheço. Obrigado por todo o amor e toda a graça e bondade que você me mostrou por muitos anos.", continua Sampson.
Mas sua mensagem foi além da Igreja Hillsong, quando ele passou a expressar seu amor por todos os cristãos e disse que ele tinha perdoado a Igreja. Ele também pediu que os cristãos o perdoassem se ele tivesse falado mal deles.
No entanto, antes de terminar, ele disse que foi um cristão, porém, "não era mais".
"À IGREJA DE JESUS ​​CRISTO, eu te perdoo, e te amo. Tenho lágrimas escorrendo pelo meu rosto porque é tão verdadeiro. Eu adoro vocês cristãos. Eu amo tanto. Isso é tudo", escreveu ele.
"Foi incrível ser um de vocês, mas eu não sou mais."
"Eu amo todos vocês, e eu sempre amarei. Eu não vou esquecer o quanto eu amo os cristãos, mesmo que eles não me amem, eu sempre amarei você. Desculpe por quaisquer palavrões que eu já disse sobre algum de vocês Perdoe-me, eu amo todos vocês."
Sampson escreveu canções que foram cantadas por cristãos e igrejas em todo o mundo, como "Carry Me", "Better Than Life", "King of Majesty", "For Who You Are", "Take it All", "Came to My Rescue", e mais recentemente "One Thing" e "O Praise the Name (Anástasis)".
Mas ele surpreendeu a Igreja em todo o mundo no início deste mês, quando desabafou suas frustrações sobre a fé cristã e as aparentes "contradições" da Bíblia, dizendo que ele "não estava mais presente". Mais tarde, ele excluiu o post.
"Hora de uma conversa real. Estou genuinamente perdendo minha fé e isso não me incomoda. Tipo, o que me incomoda agora não é nada. Estou tão feliz agora, tão em paz com o mundo. É louco.", disse Sampson no post excluído.
O que se seguiu nas últimas semanas tem sido uma sucessão de posturas examinando ainda mais a fé cristã e compartilhando sua luta interior. Todas as postagens foram depois excluídas.
Marty Sampson chegou a dizer que, embora ele não tenha "renunciado" ao cristianismo, estava, no entanto, "incrivelmente instável".
Com sua última declaração nesta sexta-feira lendo como uma carta de despedida, parece que desta vez, é realmente um adeus de Marty Sampson.
Leia o post em inglês, abaixo:

Folha Gospel com informações de Christian Today
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...